Chegamos em 2020, ano em que o Fórum Econômico Mundial previa que 35% das habilidade necessárias para o mundo empresarial iriam mudar? Será que eles estavam certos?

futuro, inovação, criar

 

Você está preparado?

 

O grande diferencial entre a 4ª Revolução Industrial e as anteriores é que esta é a Era na qual a tecnologia se tornou integrada entre a digital, a física e a biológica e sua velocidade, alcance e impacto são tão grandes que muitas vezes sequer podem ser percebidos.

Neste cenário, utilizamos o termo Mundo Pós-Digital, ou seja, estamos tão imersos na tecnologia, que só percebemos o quanto dependemos dela quando ela não funciona. E esta tendência só irá crescer de agora em diante a medida que a Era dos Vestíveis se torna cada vez mais presente com os relógios que monitoram sua rotina e seus batimentos cardíacos, as calças capazes de melhorar a circulação sanguínea, entre outros tantos exemplos.

Evoluções da tecnologia como robótica avançada, automação no transporte, inteligência artificial e aprendizagem automática, estarão cada vez mais presente. Esta mudança já tem gerado muito impacto no mercado de trabalho.

Novos trabalhos já estão sendo criados para atender às novas formas de trabalho, assim como todas as indústrias estão cada vez avaliando como retirar o humano de tarefas operacionais ou que exponham a risco de morte.

 

“Estamos a bordo de uma revolução tecnológica que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Em sua escala, alcance e complexidade, a transformação será diferente de qualquer coisa que o ser humano tenha experimentado antes”.

Klaus Schwab – Presidente do Fórum Econômico Mundial

 

As 3 competências fundamentais

 

Com este cenário, fica fácil perceber que as competências não poderiam permanecer as mesmas. É por isso que a sua maneira de trabalhar precisa mudar e o Fórum Econômico Mundial em 2019 lançou o resultado das competências que entram em declínio em 2020 e as que estão em ascensão.

Neste artigo, ressaltamos as 3 principais competências. São elas:

 

1.Pensamento Analítico e de Inovação: em mundo que se transforma constantemente e essas transformações serão cada vez mais rápidas, ter a capacidade de pensar de forma analítica e identificar oportunidades de inovação é a competência mais importante, segundo pesquisa do Fórum Econômico Mundial em 2019.

Profissionais que tiverem conhecimento sobre metodologias e saberem reconhecer melhorias, serão um destaque frente a um cenário complexo e incerto que passamos a viver.

 

2.Aprendizagem Ativa e Estratégias de Aprendizagem: se sabemos que as mudanças passam a ser constantes, seria inocente da nossa parte acreditar que o que aprendemos continuará sendo a melhor forma para sempre.

Com as mudanças constantes no mundo, temos a certeza de que as pessoas precisarão aprender para sempre, como no conceito de lifelong learning. Esta competência já tinha sido citada em 2016 pela flexibilidade cognitiva, na qual citamos que irá “sobreviver” a este mercado de trabalho quem tiver a capacidade de aprender, desaprender e reaprender constantemente.

 

3.Criatividade, originalidade e iniciativa: diante de estímulos constantes para avaliar o que está feito, querer inovar e aprender constantemente, pode se tornar natural ser criativo.

Nesta competência, além de ser criativo, é importante avaliar que tipo de valor está sendo gerado com a criatividade e o quão podemos nos desafiar a construir algo original.

Contudo, não adianta nos desenvolvermos nestas habilidades se não estivermos engajados com a sua implementação. E é por isso que a iniciativa entra como competência que será cada vez mais requisitada. Ter iniciativa, se sentir responsável pela transformação da sua profissão e agir proativamente são características fundamentais para o ser um profissional requisitado no mercado de trabalho.

 

Estas competências se tornam cada vez mais importantes quando avaliamos o cenário de competitividade entre as empresas. Se a tecnologia terá um papel tão importante na nossa rotina, os postos de trabalho mais valorizados serão dos profissionais que tiverem a capacidade de agregar valor ao negócio.

 

Deixe um Comentário