Artigo RHQI – SOBRE SER UM RH QUE INSPIRA

SOBRE SER UM RH QUE INSPIRA… – Membro RHQI – Vanessa Castro
Sou uma profissional de Recursos Humanos com mais de 15 anos de experiência e uma grande diversidade de vivências na bagagem.
Ao longo desses anos, por todas as empresas pelas quais passei e com os diferentes profissionais com os quais tive a oportunidade de trabalhar, sempre procurei observar o que faz alguém se destacar e, realmente, fazer a diferença.
Desvendar o que está por trás dos líderes inspiradores e das pessoas de sucesso sempre me motivou: prova disso é que minha monografia na faculdade teve como tema “o sucesso e a felicidade”. Aliás, de acordo com Roberto Shinyashiki, que sempre trouxe à tona esse conceito, “o sucesso é ser feliz”.
Pode parecer lugar comum, mas acredito, de verdade, nessa premissa e a vejo aplicada na minha própria vida: para fazer as coisas com eficiência e ser feliz, tanto pessoal quanto profissionalmente, tenho que estar genuinamente apaixonada pelo que faço. Esse brilho nos olhos e esse sorriso no rosto são as chamas que me movem a fazer algo mais. A ser alguém melhor. E é assim com todas as outras pessoas, não restam dúvidas.
Caso contrário, podemos até ser tecnicamente corretos, mas jamais provocaremos a mudança que vai tocar o coração do outro e levá-lo, de fato, a se engajar em prol de objetivos comuns.
Atualmente, falamos muito em propósito. Para mim, fazer a diferença é sinônimo de encontrar esse propósito. Como consultora de RH há mais de oito anos, tenho o prazer de afirmar que encontro esse propósito diariamente, nas tarefas mais simples até as missões mais desafiadoras. Pode ser em um encontro com colaboradores, no momento de dar a notícia de aprovação a um candidato ou em um simples bate-papo com gestores: é muito gratificante ser parceiro do negócio e trabalhar coletivamente, somando forças, encontrando soluções e contribuindo para o desenvolvimento de um time.
Ser capital humano, na minha concepção, é se realizar por meio dessas pequenas ações que, somadas, se tornam grandiosas. Podemos funcionar como a mola propulsora de talentos e de potenciais.
Amo o que eu faço e não poderia escrever sobre outro tema. Trabalho, dia após dia, para ser justamente esse “RH que inspira”, que contribui e que soma. Não podemos ser aqueles que apenas controlam e limitam. Temos que ser referência positiva e zelar por uma cultura corporativa de conexão e engajamento, pois só, dessa forma, formaremos pessoas do bem, profissionalmente realizadas e com resultados cada vez mais estratégicos.
Fala-se muito em compaixão e acho esse valor incrível. Temos que praticar a empatia com foco em performance: uma performance pautada em soluções inovadoras e disruptivas, que promova a diferença não somente para nós e para a empresa, mas para a sociedade em geral.
Fazer a diferença para cada um é contribuir para a diferença do todo. Em tempos de crise e de competição acirrada, precisamos ter a coragem de colaborar e cooperar, sem perdermos a nossa essência.

Somente dessa forma deixaremos um legado e estaremos orgulhosos do que somos e do que representamos.
Essa é a contribuição que deixo para essa nova geração: sejam inspirados e inspiradores! Apaixonem-se a cada novo dia, pois essa é a melhor razão para acordar pela manhã e lutar pelos nossos ideais.

Deixe um Comentário