O que é o empoderamento feminino de fato?

O tema igualdade de gênero tem sido muito discutido nos últimos tempos e a quantidade de pesquisas que existem sobre as vantagens da existência de homens e mulheres em proporções iguais, principalmente nas posições de liderança, são inúmeras. Isso nos faz pensar na seguinte reflexão: o que faz as empresas terem resistência ou não dedicarem tempo a este tema?

 

É importante avaliarmos o seguinte: com a quantidade de pesquisas realizadas, não é falta de dados que fazem as empresas serem resistentes ao tema e sim, as pessoas. Uma vez escutei de uma gerente de RH algo que me fez refletir sobre igualdade de gênero: Lilian, se a pessoa não estiver interessada no tema, não importa quantas pesquisas você mostre, ela não fará nenhum esforço.

 

Realmente, isso me fez refletir sobre até que ponto as empresas estão realmente interessadas em mudar o cenário ou se é “mais simples” dizer que é difícil ter projetos como este porque exigem muito esforço. E se é necessário ter tomadores de decisão interessados neste tema, o que devemos fazer enquanto mulheres para influenciar?

 

Durante meu mestrado tive a oportunidade de estudar tomada de decisão em alta gestão por gênero e, ao iniciar a pesquisa, li muitas teorias que dizem que mulheres tomam decisão baseada na emoção e homens na razão. Isso faz com que, segundo estas teorias, as posições de gestão fossem mais adequadas para homens que para mulheres.

 

Ao realizar a pesquisa qualitativa e entrevistar mais de 20 executivos no Rio de Janeiro em posição de diretoria e presidência, sendo homens e mulheres, percebi que atualmente podemos ver tanto homens quanto mulheres sendo racionais e emocionais e a forma de reagir às decisões estavam muito mais relacionadas a cultura da empresa do que ao gênero.

 

Podemos concluir com algumas dicas para mulheres:

  1. Vocês não precisam se masculinizar para conquistar um espaço nas empresas. Sejam fortes e decididas sem criar um personagem para isto
  2. Nossas capacidades de gerenciar múltiplas tarefas é incrível, o que nos torna capazes de gerenciar equipes com diversos projetos e manter o foco. Não tenha medo de pegar desafios como este.
  3. É possível ser uma boa mãe e uma boa executiva. Isto se chama gestão do tempo. Procure uma empresa que valorize resultados e você conseguirá administrar sua vida pessoal (como maternidade) com a profissional, sem ter que abrir mão de algum lado.

 

Espero que cada vez mais possamos ver mulheres ocupando posições de Diretoria e Presidência nas empresas, a ponto de que não precisemos mais notificar este fato como uma conquista diferenciada. Também espero ver o número de mulheres crescer nos próximos anos nas posições de empreendedorismo e que, no futuro, possamos escrever sobre perfis de liderança feminina e masculina, sendo ambas com pontos positivos e negativos, sendo então complementares entre si.

 

Deixe um Comentário