Skip to content

Design Thinking: Tudo que você precisa saber

Provavelmente antes deste artigo você já tinha em algum dia nos últimos meses o termo Design Thinking. Muitas pessoas comentando e talvez ainda parece ser um tema sem muita explicação para você. Se você é uma pessoa ligada nas tendências, confira aqui os detalhes sobre Design Thinking: tudo que você precisa saber.

Para você entender sobre que estou falando, quero que você me responda a uma pergunta. Sua empresa tem entre os seus valores ou nas competências de avaliação de desempenho a preocupação com “foco no cliente”? Aposto que sim! É assim com a grande maioria das empresas.

Agora uma segunda pergunta: o que sua empresa faz, efetivamente, para ter foco no cliente? Quanto tempo sua empresa se dedica a conversar com os clientes? Quais necessidades ela busca atender?

Muitas organizações até querem ter o foco no cliente, mas não sabem como fazer para entender suas necessidades ou como transformar estas necessidades em algo tangível nos seus produtos e serviços.

E o que isso tem a ver com Design Thinking? Antes de explicar, vamos entender mais sobre a evolução do Design?

 

Do Design ao Design Thinking

 

Vamos dividir a evolução em ondas. A primeira onda do Design começou com a inserção do Design Gráfico no século XX e os anúncios comerciais abusavam do design para chamar a atenção. Um exemplo clássico eram os cartazes para alistamento para a guerra. A preocupação com o engajamento do público fazia com que os cartazes fossem visualmente muito bem elaborados.

O uso do Design gerou bons resultados e por isso, seguimos para a segunda onda. Nela iniciou o uso do Design em produtos. Hoje isto é muito nítido para nós, vide nossos telefones, computadores e itens como mesas, cadeiras, entre outros. Se até hoje usamos o design em produtos, nem preciso dizer que deu certo!

Na terceira onda então o Design começou a ser explorado no campo dos serviços. Ir a alguns restaurantes pode ser tornar uma experiência sensorial muito maior do que simplesmente comer, já pensou nisso? A aplicação do Design nos serviços é a capacidade de entregar uma experiência ao cliente, como por exemplo, a Disney.

Se até agora gerou resultado tudo que o Design foi aplicado, entramos em uma nova onda na qual o Design é aplicado a Organização, seus processos e estruturas. Aqui o objetivo é fazer com que a organização como um todo tenha a capacidade de usar os elementos principais do Design.

 

Quais são as principais características do Design?

 

Se todas as ondas do Design deram certo, quais características podemos atribuir a elas?

Primeiro ponto que podemos destacar é que o Design está sempre centrado na necessidade do cliente/usuário. Os cartazes da guerra precisavam criar a vontade do alistamento, os produtos precisam gerar a vontade de serem comprados e os serviços precisam gerar expectativa e vontade de retorno.

Sem entender a necessidade real do cliente, a empresa passa a concorrer com qualquer outra e em um mundo tão dinâmico, nosso desafio é tentar ao máximo manter o foco na nossa empresa e não no concorrente. Podemos dizer então que entender a necessidade do cliente significa criar um efeito uau e atender ou superar suas expectativas.

Outro ponto é que o Design só projeta suas ideias a partir do momento em que elas são viáveis do ponto de vista técnico. Seria ótimo ter um paraquedas para o nosso celular não quebrar a lente ao cair no chão, porém, ainda não existe viabilidade técnica para tal.

Por último, o Design avalia o retorno financeiro ou economia que a aplicação do Design pode gerar. Sem avaliar este ponto, a ideia pode acabar se tornando uma despesa para a organização ao invés de gerar receita.

 

Design Thinking: O Que É?

 

Na quarta onda do Design, chamada de Design Thinking, o desafio é entender as necessidades dos clientes. E se estamos falando de organização, podemos inserir todos os aspectos organizacionais, que podem ir desde um produto ou serviço já existente, até a estrutura organizacional, como engajamento, cultura, comunicação entre área, entre outros.

A premissa do Design Thinking então é fazer com a organização veja sob a ótica do Design problemas complexos que podem existir na organização, e a partir deles, observar oportunidades de solução destes problemas usando o olhar criativo do Design em conjunto com os dados analíticos usados nas organizações.

Esta combinação gera, além de  um novo olhar, a possibilidade de inovar em qualquer área da empresa e para todos os públicos. No Design Thinking olhamos para os clientes internos e externos ou usuários, o que importa aqui é resolver um problema de forma simples, que gere impacto, atenda às necessidades e seja viável para a organização.

Agora que você sabe o que é Design Thinking, conheça no meu próximo artigo Posicione sua empresa de forma estratégica com Design Thinking as principais etapas desta metodologia!

Click no link e conheça os detalhes do curso aberto Inove com Design Thinking – https://www.futureminds.com.br/siteantigo/inove-com-design-thinking/

Deixe um Comentário





Scroll To Top