Negociação: a competência mais relevante da sua carreira

Muitas vezes acreditamos que negociar é necessária apenas para transações comerciais ou situações nas quais buscamos ganhar algo. Na verdade, negociação é a competência mais relevante da sua carreira. Como você tem dado atenção a ela?

 

Negociação, que competência é esta?

Negociação pode ser considerada uma relação entre 2 pessoas, na qual uma está tentando ganhar alguma coisa sobre a outra, seja isto uma venda, prazo, desconto, ou qualquer coisa que se relacione. Segundo o dicionário, negociar significa realizar operações comerciais, tratar e discutir para chegar a um acordo.

Vejo em muitas situações que no Brasil ser considerado um bom negociador pode significar algo negativo, como alguém que sabe ganhar vantagem sobre outros. Isto faz com que muitas pessoas negligenciem o desenvolvimento desta competência tão importante. Negociar nos traz a oportunidade de mostrar que estamos seguros, por exemplo.

William Ury, um dos principais estudiosos mais renomados do tema, menciona que negociar também é um exercício de você com você mesmo. Para ele, as negociações internas são tão ou até mesmo mais difíceis do que as negociações com outras pessoas, mesmo com as mais inflexíveis.

Agora, quantas vezes você parou para refletir sobre como anda a sua mente nas negociações com você mesmo? Você tem perdido ou ganhado com os argumentos? E as negociações mais importantes da sua carreira, você tem se dedicado a fazê-las bem feito ou prefere se esquivar?

 

As negociações mais relevantes para a carreira

Vários clientes de Coaching me procuram com preocupações e queixas sobre questões com chefes, processos seletivos e envios de currículo sem retorno, entre outros. O curioso é que, quando pergunto a estas pessoas sobre qual atitude tomaram em relação a estes assuntos, a resposta é quase sempre um grande silêncio.

Isso me faz refletir sobre a sem querer negligência com a carreira que muitos de nós fazemos, mesmo quando achamos que estamos focado nela. Muitos casos a falta de questionamentos e negociações está relacionada ao fato de preferir evitar um possível confronto interno entre a zona de conforto e o enfrentamento de um recrutador ou o gestor, o que gera um medo de questionar e ser mal interpretado.

Mas será que o desenvolvimento desta competência, que nem sempre agrada a todos, não poderia ser a possibilidade de alcançar resultados melhores?

Percebo também que, ao se preocupar com uma possível opinião negativa destas pessoas, elas preferem muitas vezes evitar o confronto. Porém, evitar a superação de uma vergonha não as fazem mais satisfeitas com o resultado gerado, pelo contrário! Não saber o que aconteceria deixa, grande parte do tempo, um enorme ponto de interrogação sobre o que acontece do outro lado da porta.

Pensando por este lado, gostaria de deixar a reflexão: quando acontecer a próxima oportunidade de negociação, pare uns minutos para anotar sobre como você acredita que pode ser a sua pós-negociação e como ela será se você simplesmente não fizer nada.

Claro que, para a negociação ser bem sucedida em todos os casos, é importante dedicar um tempo para listar todos os pontos que a tornam importante em algum momento da sua carreira. Grande parte dos momentos em que se evita negociar, acontece porque estão preocupados com o que podem questionar. Sendo assim, saber exatamente os momentos do que está sendo pedido vai refletir em uma negociação melhor.

Deixe um Comentário